Histórico
 03/12/2006 a 09/12/2006
 13/08/2006 a 19/08/2006
 04/06/2006 a 10/06/2006
 28/05/2006 a 03/06/2006
 21/05/2006 a 27/05/2006
 30/04/2006 a 06/05/2006
 26/03/2006 a 01/04/2006
 19/02/2006 a 25/02/2006
 22/01/2006 a 28/01/2006
 01/01/2006 a 07/01/2006
 18/12/2005 a 24/12/2005
 11/12/2005 a 17/12/2005
 27/11/2005 a 03/12/2005
 13/11/2005 a 19/11/2005
 06/11/2005 a 12/11/2005
 23/10/2005 a 29/10/2005
 16/10/2005 a 22/10/2005
 09/10/2005 a 15/10/2005
 02/10/2005 a 08/10/2005
 25/09/2005 a 01/10/2005
 18/09/2005 a 24/09/2005
 11/09/2005 a 17/09/2005
 04/09/2005 a 10/09/2005
 28/08/2005 a 03/09/2005
 21/08/2005 a 27/08/2005
 14/08/2005 a 20/08/2005
 07/08/2005 a 13/08/2005
 31/07/2005 a 06/08/2005
 24/07/2005 a 30/07/2005
 17/07/2005 a 23/07/2005


Categorias
Todas as mensagens
 Link


Votação
 Dê uma nota para meu blog


Outros sites
 ESCUTE MINHAS MÚSICAS
 El Chiquito
 Greve Geral
 Maurício
 Jorge
 Hudson
 Maria Teresa
 Giovano
 Eric
 Annay
 Alex
 Cídio


 
Nada Rima
 

Thuby-Thuby

 

 

O que diriam agora todos

ninguém poderia pensar que os sons do violão

daquela última semana de novembro

eram destinadas a ela

 

alguns até tinham suspeitas

mas não passavam de suspeitas

e então como mágica

tudo fazia sentido

 

os meses se passaram

e eles continuaram juntos

os caprichos da mulher

se renovavam com o tempo

 

cada vez mais e mais

se fazia impor sua vontade

ainda mais depois

de ser chamado de Thuby



Escrito por Ele mesmo às 15h29
[ ] [ envie esta mensagem ]



Matou o tempo

 

 

Aquela conversa ao telefone

deixava cada vez mais

um gosto amargo na boca

ensurdecia as aparências

 

as palavras pediam:

mais silêncio, por favor!

não se sabe como

ele aprendeu aquilo tudo

 

matou o tempo ontem

disseram-me certa vez

que a história que conto

foi a última escrita

 

pode ser mentira

mas, eu acredito

que seja a última história

que seja a última linha



Escrito por Ele mesmo às 16h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



Devedor

 

 

Andava mais rápido

quando passava

em frente

daquela casa amarela

 

quando, como se

estivesse adivinhando,

encontrou-o

e mirou seus olhos

 

um se surpreende

o outro finge se surpreender

um se esquiva

o outro cerca

 

dá um sorriso sem graça

se desculpa mais uma vez

dois passos para trás, meia volta

para um futuro próximo encontro



Escrito por Ele mesmo às 09h26
[ ] [ envie esta mensagem ]



A Vez

 

 

Ligou e disse

que não iria trabalhar

comprimidos ao lado

no criado mudo

 

olhou e não os tomou

um gole no copo

quase sem água

e levantou-se

 

tomou um banho demorado

colocou uma roupa

e depois a tirou

colocou outra e saiu

 

pegou um ônibus

desceu no ponto final

em frente ao teatro e

entrou na fila para o teste



Escrito por Ele mesmo às 12h38
[ ] [ envie esta mensagem ]



Vídeo Game Vídeo

 

 

Luzes convulsivas

entretém os olhares

estimulam batimentos cardíacos

distraindo a tristeza

 

se esquece de quem é

olhos amarelados

arregalados ao máximo

não respira mais

 

perde o sono

perde a fome

não vai mais ao banheiro

faz tudo ali mesmo

 

seu corpo apodrece

o cheiro de morte

parece evidente

até que chega



Escrito por Ele mesmo às 08h00
[ ] [ envie esta mensagem ]



8 Meses (ou Estágios 1, 2 e 3)

 

 

Abre os olhos

não acredita

o relógio mostra

que é cedo para acordar

 

anima-se

vai à padaria

retorna, come

e volta a dormir

 

liga para ela

fala com ela

é hora do almoço

encontra

 

estágio 2, ela está alegre

estágio 3, ela está brava

estágio 1, ela está normal

estágio 2, ela está alegre



Escrito por Ele mesmo às 10h12
[ ] [ envie esta mensagem ]



Um Pulmão em Baixo D´água

 

 

Não enxergava nada

o limpador do pára-brisa

estava muito gasto

e a garôa o cegava

 

percebeu que seu atraso

era maior que o de costume

pisou fundo no acelerador

o que aumentara sua cegueira

 

o seu atraso era esperado

assim como a desculpa pronta

que ele sempre dava

não havia surpresa

 

subiu dois lances de escada

para entrar, empurrou pessoas

para sentar, limpou a cadeira

e encheu de ar seu pulmão



Escrito por Ele mesmo às 09h16
[ ] [ envie esta mensagem ]



Cachorro-quente

 

 

Parecia ser mais um

domingo sem movimento

como qualquer outro

perda de tempo

 

quando uma voz chama-lhe

estava distraído e se assusta

queria um lanche sem maionese

com bastante ketchup

 

- não tem. avisa o senhor

cortando o pão

o cheiro estava bom

e o rapaz agasalhado tremia

 

no momento que entrega o lanche

carros da polícia fazem o cerco

quando recebe o dinheiro percebe

que a nota estava encharcada de sangue



Escrito por Ele mesmo às 10h29
[ ] [ envie esta mensagem ]



Quarta-feira

 

 

Quando tentou mostrar

aquela música

correu para casa e se trancou

a chuva iria começar

 

ainda era quarta-feira

mas eles fingiram

que o fim-de-semana

havia chegado

 

cheia de surpresas

ao menos hoje não queria se arriscar

também não gostava de acordar cedo

e muito menos tomar banho no frio

 

o telefone cansou de tocar

seja quem for, não iria levantar

levou seu café na cama

queria fazer de tudo por ela



Escrito por Ele mesmo às 22h40
[ ] [ envie esta mensagem ]



Feira

 

 

Não estava passando bem

fazia um enorme esforço

para não esbarrar nas coisas

e nas pessoas

 

algumas delas o olhavam

talvez por reconhecê-lo

ele estava sempre lá

todas as sextas-feiras

 

em seus braços

muitos livros

que provocavam

um ligeiro desequilíbrio

 

não gostava muito de esperar

e para adiantar as coisas

pediu um yakissoba

sua linda amada estava atrasada.

Escrito por Ele mesmo às 17h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



Ensaio

 

 

O ar estava pesado

mal conseguia enxergar

quem estava na sua frente

não havia ventilação

 

não demorou muito

muitas gotas de suor

escorriam pelo seu rosto

encharcando sua camisa

 

com o tempo,

passou a se escorar na parede

depois jogavou as latas de cerveja

no chão para sentar no amplificador

 

os calos da mão agradeciam

o final daquela jornada

estava mais feliz

e um pouco mais surdo

Escrito por Ele mesmo às 10h37
[ ] [ envie esta mensagem ]



Sem Guarda-Chuva

 

 

Já estava caminhando

a um bom tempo

e levaria outro tanto

para chegar em casa

 

começou a chover

parou. Olhou para o céu

a chuva aumentou

continuou a andar

 

em poucos segundos

estava encharcado

não gostou nada disso

levaria uma bronca da esposa

 

a rua a sua frente estava alagada

não deu importância e seguiu

foi quando suas pernas não tiveram forças

deixou-se levar pela água



Escrito por Ele mesmo às 12h06
[ ] [ envie esta mensagem ]



Chão

 

 

Fazia aquele caminho sempre

passava pelas mesmas pessoas

abria a porta,

fechava a porta.

 

geralmente ela chegava antes

mas desta vez,

cheguei primeiro.

esperei só um pouco

 

ela sentou no chão

disse-me para fazer o mesmo

fiz uma cara, como quem diz:

“eu não, está louca?

 

e ela fez uma cara, dizendo:

“e daí... senta logo!”

olhei para os lados e sentei.

como todos os dias desde então

Escrito por Ele mesmo às 15h30
[ ] [ envie esta mensagem ]



Crash!

 

 

Estava tudo certo

a estiagem estava firme

as horas confirmavam

que estávamos no horário

 

a dosagem de seu perfume

embriagava meus sentidos

e por isso, às vezes,

distraia-me no trânsito

 

dizia que estava calor

mas falava “calor”

de um jeito, que

fazia-me sorrir

 

vou pular o fim da história

e vou termina-la

estraguei tudo

essas linhas já passaram



Escrito por Ele mesmo às 18h53
[ ] [ envie esta mensagem ]



Karla


Cabelos castanhos
ondulados na medida certa
solto ressaltam seus olhos
gosta de prende-los com um nó

no seu andar
postura correta e cabeça levantada
dão a impressão de superioridade
e de auto-suficiência

seu olhar misterioso
suas maçãs avermelhadas
um rosto redondo
boca umedecida

parece sempre proteger-se
guardar-se num labirinto
o mundo queria esconder você
mas te encontrei



Escrito por Ele mesmo às 19h51
[ ] [ envie esta mensagem ]




[ ver mensagens anteriores ]